h1

A ignorância da força

24 de janeiro de 2009

Mind

O quão fácil seria o mundo se tivéssemos a capacidade de destruir todos os nossos inimigos? Uma ordem, uma carteirada e pronto, livraríamo-nos da nocividade presente ao nosso cotidiano e poderíamos trilhar caminhos mais calmos.

A concorrência sempre estaria controlada, subjugada às suas decisões, ao seu controle, pois a ti caberia o poder da destruição. A lei do mais forte, do “fodão”. Se não concorda comigo, se a mim traz a aflição, arranco-lhe do caminho com uma só tacada, pronto, suma, sou eu quem manda.

Muitas pessoas preocupam-se tanto com esse objetivo, que perdem-se no rumo da real liderança. Consideram que o poder de ataque é a força mais importante para se construir um “império”, prendem-se em toda sua arrogância e superioridade para dominar adversários e tornarem-se os verdadeiros respeitados.

Pois marquem: Estes são os mais fáceis de superar, pois fechados em seu cubículo mental de força ofensiva, esquecem-se da fundação básica de um verdadeiro líder, a solidez daquilo que conquistou e a humildade de estar sempre aprendendo.

Citando as palavras do General Sun Tzu: “A melhor política guerreira é tornar um estado intato; uma política inferior consiste em arruiná-lo.”

Quantas vezes temos a maldita idéia de puxar o tapete do vizinho, considerando que daquela forma podemos crescer a ponto de alcançarmos seu patamar? Mas sempre esquecemos que o crescimento vem de dentro, não de fora. Ao ponto que, exercendo somente nossa política interior, podemos superar qualquer barreira, com méritos e em vida plena.

Tornarmo-nos intatos significa ampliarmos nossas defesas, nossos conhecimentos, nossa solidez interna, nossas amizades e influências. Não há golpe forte o bastante no mundo para destruir essa fortaleza. A famosa frase: “a melhor defesa é o ataque” não passa de um jargão estúpido, criado por líderes estúpidos e executado por seguidores estúpidos.

“A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque” – Mais uma vez citando as palavras do gênio.

Crie sua base fundamentada, estude, adicione conhecimento a sua mente. Saia da fraca idéia de que a vivência pode lhe ensinar tudo o que precisa, pois a vida sempre lhe dará surpresas e, desta forma, você somente conseguirá aprender da pior maneira possível, apanhando.

Um ser humano que não lê e não cria sua base sólida, será sempre mais fraco e propenso a ser vencido, tornando-se apenas mais um, uma ferramenta.

O que diferencia um líder intelectual da humanidade, de um mero fulano-de-tal?
Leia. Você vai descobrir.

A menos, é claro, que esteja satisfeito com a mediocridade.

Anúncios

20 comentários

  1. Belas palavras.. sem falar que SUN TZU foi o cara… o livro é mt bom, para aqueles que não leram, recomendo.

    “A arte da guerra”


  2. Meu caro Felipe, pela segunda vez abro seu blog e pela segunda vez me surpreendi com suas reflexões, Ha um bom tempo venho fuçando xeretando esse incrivel meio de comunicação, sempre lendo e vendo muita merda, confesso que na maioria das vezes ri bagarai dessas merdas, mais uma hora a gente não aguenta mais e procura alguma coisa com conteudo, alguma coisa pra nós seres humanos racionais burros refletirmos, ta de parabéns pelo trabalho vc realmente consegue fazer a gente parar e ler algo interessante.


  3. Outro texto muito bom, vou comprar o livro “A arte da guerra” como vc me indicou. Fiquei curioso agora pra conhecer Sun Tzu, o cara deve ser uma mistura de Jack Bauer, Scofield, Lock e poraí vai… hehehe
    Vlw!


  4. esse tipinho de pseudo-intelectual que vc se tornou não me agrada …não veja como uma ofensa por favor mas eu gostava mais do controle de outros tempos tinha mais humor e não deixava de ser sarcástico e inteligente ..tem certas coisas muito boas que nunca deveriam mudar….

    ——————

    Vai ver este blog não combina mais com sua pseudo-inteligência.

    Recomendo: http://www.bobagento.com


  5. Alguma sugestão pra com que começar?

    ———————

    A Arte da Guerra.


  6. O livro que você disse que queria escrever é de auto-ajuda ?

    ———————-

    Não. 🙂


  7. ae Felipe,ja faz um bom tempo que visito seu blog,eu tenho que admitir que o blog mudou bastante desde que o Fred Fagundes saiu,mas venho sempre lendo os comentarios e queria te dar um toque,seja mais humilde a respeito de receber opiniões e criticas

    “Pois marquem: Estes são os mais fáceis de superar, pois fechados em seu cubículo mental de força ofensiva, esquecem-se da fundação básica de um verdadeiro líder, a solidez daquilo que conquistou e a humildade de estar sempre aprendendo.”

    palavras suas amigo…
    palavras suas

    ——————

    Você conhece a diferença entre a crítica embasada e criada com objetivo de melhorar e a crítica estúpida criada com objetivo de denegrir?

    Pense nisso.


  8. critica construtiva e critica destrutiva

    e é sobre as construtivas que eu me refiro

    ——————-

    Qualquer crítica construtiva é absorvida.


  9. nossa vc não sabe receber críticas e opiniões.. e ainda por cima é nervosinho grande humildade essa sua a quem vc mesmo se referiu em seu texto..o blog é seu é mas quando se tem um espaço para comentários vc teria que ser mais receptivos a opiniões afinal nem todos pensam como vc..

    ——————-

    Pesquise mais sobre o termo pseudo-intelectual, que foi como você se referiu a mim. E depois chegue a conclusão disso ser ou não uma ofensa.

    Pra mim, não poderia ter ofensa maior.


  10. Isso é verdade, Felipe. Desde que eu entro aqui você ODEIA ser criticado eou contrariado ;P
    Humildade, rapaz. E realmente, o blog tomou literalmente outro rumo… você anda com crise existencial? :B

    Abraços e parabéns pelo blog.


  11. Pegue o controle remoto e mude o canal do blog, pois está muito chato.

    ——————-

    Valeu, Mateus.


  12. Putz, a Arte da Guerra?

    Tinha que resumir ele prum trabalho de marketing no curso x_x

    Não fiz =X


  13. Taí uma coisa que você podia tornar periódica por aqui.
    Indicação de livros, críticas dos mesmos, algo nesse sentido.
    Começar com A arte da Guerra é, digamos, um puta início. 😉


  14. Belas palavras, gosto da sua opinião, lembra a minha.


  15. “Taí uma coisa que você podia tornar periódica por aqui.
    Indicação de livros, críticas dos mesmos, algo nesse sentido.
    Começar com A arte da Guerra é, digamos, um puta início.”

    Concordo plenamente, seria interessante o ‘novo’ Controle Remoto ter dicas de livros e afins.
    Muito bom seus textos, me ajudam a abrir os meus olhos e acabo percebendo que concordo com muita coisa e os que eu não concordo, procuro refletir sobre minha maneira e a sua, quem sabe uma mistura das duas não dê certo.


  16. Vendo esse texto me lembro de uma frase onde dizia que o silêncio dos sabios fale mais que o discurço dos tolos.

    Sendo assim…..

    Voltarei para comentar em futuros textos.!
    Forte Abraço!


  17. Sabias palavras. Na sua opinião claro.

    Saiba que, e como um policial militar, acredite em mim, é mais facil do que você pensa eliminar os inimigos, sem deixa rastro.

    Mas.. o mais facil é pros fracos.
    O mais dificil é conviver e sobreviver com eles, no meio deles.

    Mantenha seus amigos perto. Seus inimigos mais perto ainda. ( Senhor Kail – Eu a patroa e as crinças.)

    __________________________________________________
    Sobre as criticas…
    Sei lá…quem comenta tem que esta disposto a ouvir a sua opinião.
    Quem critica pode ouvir criticas…

    Mas como o cavalheiro que eu sei que você, reponderá com a sobriedade que lhe é caracteristica, não é?


  18. É difícil hoje em dia, um conteúdo proveitoso, inteligente, que acrescente algo no intelecto de uma pessoa.
    Seu blog faz isso tudo.

    Uma pessoa que não sabe nem pontuar, não sabe da existência da virgula, etc. e ainda quer criticar.
    Aliás, foi uma crítica válida, porque ela faz parte da massa ignorante que, você, Felipe, esculacha volta e meia. E como o ser humano tem instintos de animal irracional no subconsciente, faz parte a gente tentar se defender, seja ela de forma sensata e com embasamento, ou não.

    Abraços, e se puder indicar blogues inteligentes e que me acrescente conhecimento, seria ótimo!


  19. Oi Felipe, meu nome é Adriano e tenho 17 anos. Faz alguns meses que venho lendo o seu blog, que possui um conteúdo bem interessante, mas a falta de tempo de um vestibulando me tira o luxo de comentar todos os posts de blogs que paro de vez em quando para ler. Porém este post especificamente me obrigou a vir aqui para dizer que tiro o chapéu para tudo que você disse.

    Na verdade, eu achei engraçado como alguns dos termos que você usou neste post se assemelham ao que o meu pai costumava me dizer: “Filho, aprenda com os seus pais agora enquanto pode, porque se não aprender agora, você vai ter que aprender com a vida, e só se aprende com ela apanhando.”

    Continue fazendo posts assim, dando uma alfinetada básica na sociedade, de modo inteligente e sem hipocrisia =)

    ———–

    Valeu Adriano.


  20. Alguém disse que é melhor ser temido que ser amado ( acho que foi maquiavel )
    Mas acho que é melhor ser respeitado que ser temido.

    Respeito se consegue sendo bom no que faz, e não por força.
    Colocar medo nos outros é facil, mas um dia seu “poder” diminue, e então quem tinha medo de você não pensará duas vezes para te destruir



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: