h1

Trote – o orgulho de uma classe escrota

19 de fevereiro de 2009

Trote

Início de ano é sempre a mesma história, calouros fresquinhos chegam em suas respectivas universidades e são recebidos por veteranos zoadores e encrenqueiros, dispostos a vingar toda a humilhação sofrida anteriormente por aqueles que os próprios se tornaram.

O grau de zoação, entretanto, varia de curso para curso, de ser humano para ser humano, vem da sorte do indivíduo novato, podendo deparar-se tanto com um grupo de mulheres brincalhonas e seus amiguinhos (casos como Moda) quanto um grupo masculino com o excesso da brincadeira, que acaba causando humilhação em demasia e, em alguns casos, a violência física.

O trote, cuja concepção sempre foi de um verdadeiro ciclo da vida, vem perdendo sua essência e transformando-se em verdadeiros atos de arruaceiros completamente desprovidos de inteligência e dispostos a qualquer ato impensado capaz de promover suas gargalhadas e algum lucro.

Trote

Mas afinal, de quem é a culpa?

Todos somos culpados, começando pelos organizadores dos trotes, passando pelos estudantes completamente inseguros clamando por alguma inclusão social que submetem-se a tais atos, passando também pelos chefes das instituições e governantes, pela polícia que não procede na real punição e chegando, finalmente, na população, que tapa os olhos diante dos fatos e aceita colocar uma moedinha no copinho descartável daquele aluno pintado nas ruas da cidade. Grande erro.

O ser humano é mesmo um animal burro e teimoso, a tal ponto que chego a me perguntar como poderíamos ser uma criação divina. Se Deus realmente existe, será que colocou o cromossomo B.E. em cada um de nós? O de Babuínos Estúpidos? Ora, sigam meu raciocínio.

O jovem, em maioria, é uma raça insegura que não consegue chegar em um novo ciclo social sem sentir-se completamente acuado e amedrontado. Por isso, ri de piadas sem graça, esconde sua opinião para não entrar em conflito e torna-se vaquinha de presépio dos que consideram mais descolados (os temidos veteranos).

Guiados por esta insana insegurança, decidem que é divertido e engraçado ficar de quatro em cima de uma mesa, em frente a mais de 80 pessoas, e fingir um orgasmo múltiplo canino. Afinal, ora, ele precisa passar por isso para ser incluído, para não ser afastado.

Trote

Como diria o fruta: Santa situação embaraçosa, Batman!

Não julguem-me mal, passei por um milhão de situações mais humilhantes que esta. Já fiz aula de teatro completamente nu numa cena em que saí de trás da cochia com uma bermuda na cabeça e bati de rosto em cheio em um conjunto de caixotes. A diferença, meus amigos, é que jamais fiz isso a contragosto, clamando por aprovação de seres estúpidos e com nível intelectual inferior ao meu.

Partindo da racionalização correta, ou seja, se o ser humano fosse de fato pensante e inteligente, o trote jamais existiria, pois ninguém submeter-se-ia a tamanha estupidez e, consequentemente, jamais existiriam “os temidos veteranos”. Pois, afinal, o que são os veteranos se não seres humanos exatamente iguais a todos os outros, somente alguns períodos à frente de determinado curso?

Trote

Foi partindo deste princípio que nunca, absolutamente nunca, deixei qualquer pessoa de grau mais elevado passar por cima de minha moral. Em todos os momentos em que senti-me inferiorizado num determinado grupo liderado por veteranos, apenas travei minha expressão facial e disse: “Campeão, fique com sua experiência e, se possível, enterre-a rabiote acima”.

Acreditem, todos vocês, a aprovação é conquistada com o tempo e os ciclos sociais formam-se com a convivência, não apenas com a resposta pública da pergunta: “Cospe ou engole?”

Pensem antes de agir.

——————–

Este texto foi inspirado nos recentes acontecimentos de agressão, morte e ameaças, todos acontecidos em trotes.

CLIQUE AQUI, leia e revolte-se.

Anúncios

74 comentários

  1. Tá mais pra um repórter do Jornal Nacional.

    Existem várias faculdades em que os trotes são literalmente menos ofensivos do que se veem por aí. Não pode generalizar, pois tem até faculdades com o famoso “trote solidário”, que claro, foge do contexto. Enfim, eu mesmo passei pelo trote literalmente sadio quando entrei pra faculdade. Isso depende muito das pessoas que o rodeiam, dos grupos feitos e etc. Concordo que existem babacas e escrotos que fazem disso uma humilhação quando o propósito é dar boas-vindas aos calouros. Eu mesmo nesse início de ano dei trote, e qual foi? Serpentina, gliter e barulho na sala dos “bichos”… nada além, pois HÁ discernimento pra tudo, é só PENSAR. Fazer do trote algo inteligente e bacana não faz mal a ninguém, mas infelizmente sempre há uma dúzia de babacas que querem aparecer e ficam se submetendo a tal escrotice, e é aí que faço a pergunta: “Quer se mostrar? Enfia um peixe no cú e diz que é seria”. Sou totalmente anti esse lance do trote físico no qual pode até chegar a haver lesões, mas você fazer brincadeiras SADIAS e sabendo separar as “prendas” sem que ninguém saia prejudicado ou lesionado eu sou a favor. Faculdade é tudo de bom, é a única fase da vida em que todos que fizeram se lembram com orgulho e saudades ( pros que fizeram disso algo BOM, claro ).

    Infelizmente nos dias de hoje ainda você verá MORTES por causa de trotes banais em faculdades públicas ou particulares. Aí sim tem que PUNIR os responsáveis e não é expulsando da faculdade, mas sim sendo PRESO pelo ato literalmente ridículo. Como disse acima, eu sou a favor de um trote sadio e que leve tudo na brincadeira como foi comigo. Fiquei na rua, pedi dinheiro, fui pintado e depois fomos todos tomar cerveja sem NENHUMA lesão corporal. É isso que tem que ser feito, as brincadeiras sadias e que todos se conhecam e façam dos seus 3, 4 , e até 5 anos de faculdade uma lembrança positiva.

    Abraços e bom texto.

    ————————–

    Por isso eu falei que o grau de zoação varia, justamente para não generalizar. O texto em seguida prossegue tratando do trote escroto.


  2. Acho o trote uma coisa sadia, é uma tradição e bla bla bla, mas sempre tem um “pé de macaco” que chega e joga bosta do ventilador esculhamba com tudo. Esses babacas deveriam ir pastar a melhor punição e a expulsão da faculdade. Aqui na UFSCar o máximo é tinta na cara e o trote solidário, onde existe até doação de sangue (voluntária obviamente).


  3. Sabe o que se torna, ainda, pior diante de tudo isso? É que estamos falando de jovens universitários, onde se deveria pelo menos ter um pouco mais de consciência, esclarecimento e respeito ao próximo. Será que precisamos sempre nos afirmarmos diante dos outros? É necessário humilhar e tripudiar em cima da moral do outro para que sejamos notados ou respeitados?
    Parte da sociedade e não grande parte dela, infelizmente, sabe que o grande problema das relações humanas tem origem na educação, na falta dela, e isso está cada vez mais claro e insustentável. O trote idiota, estúpido e de uma classa escrota é o reflexo disso!!! Estamos em uma sociedade decadente e cega… E o meu medo? É que o futuro está nas mãos do”jovens escrotos”.


  4. O Trote é um dos principais motivos de eu ter desistido de cursar faculdade esse ano, não to afim de ter me lindo cabelo que tem 65cm cortado por uma bando de filinhos de papai idiotas e retardados.

    Aproveite e de uma passada no meu blog: http://muitapimenta.com

    ———————-

    Rocky, isso é crime enquadrado em lesão corporal, basta você avisar que se encostarem no seu cabelo, você fará um B.O. na delegacia, garanto que os zé bostolinhas ficarão cagados nas calças pra fazer alguma coisa.

    E se fizerem, vá até o fim, a polícia e o judiciário estarão do seu lado, eles odeiam esses merdas.


  5. Trote escroto é para universitário que não faz nada!
    Aqui um dos problema é com os “agroboys”,bebem desde 7 da matina e lá pelas 3 da tarde resolvem dar trote nos calouros, é sempre a mesma putaria e envolve sempre os mesmos cursos. E no final tá lá a Policia…
    No ano retrasado, alguns alunos de Veterinária se deram ao trabalho de juntar esterco e restos de animais para fazem o trote dos calouros. Considero muita burrice perder tempo juntando merda e carniça. Ahhh, vai estudar! Tem tanta coisa para se fazer numa Universidade!


  6. Fato que adolescentes que dão trotes como os citados nas notícias dessas semanas merecem ser impalados e queimados em praça pública. É repugnante ver algo tão ridículo ser tão aclamado por todos. Desde que entrei na faculdade, nunca levei/dei trote em alguém, pois acho isso uma falta de respeito. Fazer brincadeiras do tipo que acontecem no UniCeub (Brasília – DF), como colocar os calouros para andar elefantinho pelo campus da faculdade, depois fazê-los malhar e depois levar para beber é algo saudável. Agora roubar o tênis dos mesmos e exigir 20 reais para devolução, é ridículo. Leiloar as meninas para arrecadar fundos é ridículo. E infelizmente, o que mais parece divertir os jovens é justamente o que é ridículo…Uma pena, simplesmente uma pena.
    Magnífico texto. Abraços.


  7. Caro amigo Felipe, eu hoje sou um veterano, ano passado fui um calouro.
    Tanto esse ano, quanto ano passado não tivemos trote violentos por aqui, e olha que estou falando do curso de comunicação social, que na Unesp e UEL tem fama de ser um curso “barra pesada” para os calouros.

    Esse ano eu dei trote, o que fiz?
    Pintei, zuei e cortamos o cabelo dos bichos, fizemos eles darem uma grana e fomos todos, inclusive os calouros, tomar uma gelada.

    Eu sei que você não generalizou, mas infelizmente, não é nem o trote que é violento e sim a sociedade que oprime e esse oprimido e, claro, estúpido, desconta em uma pessoa que não tem anda a haver e muitas vezes está “perdido” em uma cidade que ele acabou de conhecer.

    ———————–

    Se raspassem meu cabelo iriam todos pra delegacia, pode ter certeza.


  8. huahuahuahuahuahuahuahuauhuahuahuha
    certeza que comeram o cu dele na faculdade e que ele não fez amigos
    concordo que trote violento é desnecessario, mas em muitos cursos (o meu por exemplo) nao passa de uma brincadeira, sem agressão fisica e/ou moral.

    “Campeão, fique com sua experiência e, se possível, enterre-a rabiote acima”.
    hauhauhuahhauhuahuahuhahua
    nerds são fodas.

    —————————-

    Precisa trazer lembranças tão ruins da minha vida aqui pro blog? =(

    Era uma tarde de muito sol… O veterano chamado Alfredo disse que a gente tinha que encostar o indicador no chão… E então tudo ficou escuro.

    Eu fiquei traumatizado e escrevi este post.

    Ah! E eu sou nerd e viado também.


  9. […] extremos para deixar qualquer um boquiaberto Varias Tirinhas Declaração de amor a lá Google Trote – o orgulho de uma classe escrota 10 Curiosidades sobre o carnaval Fake ou muito tempo livre? Crie um avatar animado de sí mesmo […]


  10. O único ponto que discordei, foi quando disse que o trote “vem perdendo sua essência e transformando-se em verdadeiros atos de arruaceiros”.

    De acordo com o que sei, trote em calouros era uma tradição medieval que “civilizava” os recém-chegados, que entravam para as universidades considerado bárbaros, pois vinham sem qualquer espécie de educação, barbudos, cabeludos e sujos. A “limpeza” incluia um ritual de purificação, com surras, humilhações e submissão aos veteranos. Muitas das vezes, havia mortes e danos físicos graves.

    http://g1.globo.com/Sites/Especiais/Noticias/0,,MUL999773-16107,00.html

    A partir daí, é sim questionável se vamos continuar nos comportando como uma sociedade medieval ou cidadãos evoluídos.

    ———————–

    Deka, o conceito medieval já morreu há muito tempo, o objetivo passou a ser apenas o de fazer algazarra e sacanear os jovens. Ninguém ali está sendo testado, muito menos passando por um processo para poder fazer parte da faculdade. É apenas estupidez.

    Porém, há algumas décadas, o objetivo do trote era fazer uma brincadeira saudável que marcasse para sempre a vida das pessoas, como uma fase inesquecível de sua juventude. Isso vem morrendo.


  11. “submeter-se-ia” é foda hein!

    ———————-

    Tem horas que, se não for mesóclise, fica feio.


  12. Não sei o que faz as pessoas serem submetidas a certos tipos de humilhação (como fazer coisas que nunca fariam para serem aceitas), acho que no fundo todos são mais inseguros do que realmente pensam…

    Minhas aulas na faculdade começam dia 2, vai ter trote, mas ele será leve, como pintar e pedir dinheiro. Quem sabe depois dessa data eu volto para dar um depoimento…


  13. Concordo com o comentário acima! Embora que aqui em Pernambuco não tem essas coisas de trote não, só em alguns cursos e mesmo assim é mais uma desculpa pra tomar cachaça!
    Os meninos raspam o cabelo com os amigos e tals e as meninas as sobrancelhas!


  14. Felipe,

    As vezes eu fico me perguntando como é que o Homem é tão idiota ao ponto de cometer tantas idiotices, tanta covardia com seu próximo…

    Esses filhos-da-puta que se dizem veteranos e que cometem tamanhas barbaridades não passam de deficientes mentais, pois mesmo depois de um tempo na universidade, não conseguiram compreender que o que eles sofreram, ao entrar, é uma coisa descabida, fruto da ignorância de quem veio ao mundo desprovido de cérebro. Trote que tem o intuito de sacanear ou massacrar os novatos, é coisa de idiota. Está mais que na hora das autoridades competentes intervirem nesse assunto e proibirem os tais “trotes”. Já não basta os que já morreram e/ou ficaram com sequelas pro resto de suas vidas em função destas brincadeiras idiotas?

    Para finalizar, uma perguntinha: Felipe, você sabe me dizer se isso acontece em algum outro lugar do mundo, fora o Brasil, nos países do primeiro mundo por exemplo?

    Thanks! 😉

    ——————–

    Não que eu saiba.

    O sistema GREEK de universidades americanas, que divide alunos em fraternidades, faz o oposto… Cuida da integridade de seus membros e os tratam como irmãos.

    No máximo, tem o período de “notavo” em que o integrante da fraternidade passa 1 ano lavando a mansão do grupo, fazendo comida, etc. Mas aí é um processo real e necessário para ser EFETIVADO como irmão, diferente do que acontece nesse Congo aqui.


  15. eu sou contra o trote, a não ser que seja o trote solidário ou algo similar. Quando entrei na universidade fui pintada contra a minha vontade, pode parecer bobo ficar chateado com isso, mas foi algo que eu não concordei. Msm que seja um trote amigável não te perguntam se podem te pintar ou se vc está interessado em participar. Não importa se vc vai trabalhar depois ou não, não importa se vc quer fazer ou não. Acho que o papel dos veteranos é de mostrar aos calouros as dependências da universidade, dando os conselhos básicos de onde e como as coisas acontecem. Se quiserem sair depois e encher a cara tudo bem, mas deve ser respeitada a opinião de cada um e não forçar as pessoas a beber como já vi em muitos casos. O “trote” é uma boa oportunidade de se fazer algo construtivo, pq não convidar ( e não obrigar, vai quem quer) os calouros a doar sangue, plantar arvores, fazer alguma caridade? Seria muito interessante e seria uma forma de interação entre calouros e veteranos. E sinceramente uma pessoa que joga um líquido que sabe que vai causar queimaduras em um calouro, sobre o pretexto de ser uma brincadeira, não merece admiração de ninguém. Essa pessoa deve ser punida conforme a lei.


  16. Curte muito o texto ta certinho!


  17. Olá Felipe!
    Muito bom o texto que escreveu, retrata bem a realidade que existe porém as pessoas não querem ver. Aliás, muitas coisas são assim, infelizmente. Eu não sei o que se passa na cabeça dos seres humanos que por vezes agem pior do que um animal selvagem com suas atitudes e atos inconsequentes. Depois aparecem na TV com cara de bunda do tipo: “Foi sem querer”; adianta?
    Olha, não sei se sou antiquado demais, ou o mundo está realmente perdido…

    Abração
    Bruno
    =]


  18. Pois é Felipe.
    E o pior, esses caras serão futuros advogados, pediatras, veterinários, médicos…
    Não é de se surpeender com o atendimento e o preparo desse profissionais no hospitas pelo Brasil a fora.
    Um abraço, e parabéns pelos seus textos.


  19. O triste Felipe é que tem calouro que é conivente e acaba recebendo esse tipo de humilhação, aqui onde eu moro em Belém espero não ver uma situação dessas acontecendo comigo quando eu for pra universidade, porque eu não vou ficar quietinho aceitando iso não, mas ainda bem que parece que esse tipo de trote não acontece pelo menos eu nunca vi.

    E parabens pelo poste esse blog sempre com alto nível hein.


  20. Hoje mesmo eu vi algumas pessoas vitimas de trotes vagando pelos semáforos a procura de dinheiro. E um homem, completamente sujo, com o cabelo cheio de farinha e ovo dentro do ônibus. Acho que o trote deles não foi tão violento. Mais não nego que existem, sim, muitas universidades que seus trotes são pra lá de violentos. E isso é uma coisa que não pode e não poderia acontecer de jeito nem um.

    Minha professora de redação fez a seguinte pergunta para a minha sala: “Qual é a causa dos trotes das universidades? Por que eles são tão violentos em algumas regiões?” É essa mesma pergunta que eu faço a vocês.


  21. Oi cara,

    Primeiro gostaria de dizer que concordo com muitos dos seus posts. Acho seus pontos de vista interessantes e pertinentes a uma discussão de alto nível, assim como o assunto deste post.

    Acho só q vc “errou a mão” um pouco ao generalisar tudo. Existem trotes violentos e imbecís (que são os que mais saem na mídia, e estão nela agora devido aos problemas recentes), mas ainda existem trotes solidários e até trotes bem amigáveis. O meu foi bem tranquilo, o pessoal pediu pra gente levar roupa pra trocar, fizemos brincadeiras leves, normais, e depois fomos todos pra um churrasco se divertir e conhecer melhor os veteranos.

    O trote violento e imbecil deve ser combatido sim, com certeza, mas tb não podemos generalisar e achar que só existe trote desse tipo.

    Eu sei que vc é uma pessoa inteligente e sabe de tudo isso, mas a forma como o seu texto foi redigido transpassa outra impressão.

    O que podemos fazer? ao invés de fazer comentários agressivos como os que vc fez, podemos fazê-los tb, mas demonstrando o outro lado, o do trote solidário e o do trote amigável como exemplos a serem seguidos, colocando links para as instituições que endossam este tipo de atitude.

    O que vc acha?

    ————————-

    Eu já participei de trotes solidários, incluindo por vontade própria, quando o trote sequer era meu.

    Se você der uma lida novamente no texto, verá que eu especifico bem que existe uma grande variação nos trotes, passando pelos inofensivos e chegando aos violentos. E então o texto continua, tratando apenas dos trotes desnecessários.


  22. Paulo Segundo:

    “Eu sei que vc é uma pessoa inteligente e sabe de tudo isso, mas a forma como o seu texto foi redigido transpassa outra impressão.”

    Tb concordo com o Paulo, achei um tanto intolerante este texto, eu sou a favor dos trotes. Só que como em toda festa há sempre um grupo de Joselitos que não sabem se comportar direito… Isto é em toda festa, em qualquer país, sempre há um grupo de pessoas que parecem que nunca aprenderam a se comportar em grupo sem uma coleira.

    O Trote é algo natural, um ritual de passagem, um dia de festas que antecipa o período de ralação que o jovem passará até conseguir seu diploma.

    ————————

    Ok.


  23. Cara, isso é algo que eu tenho DECIDIDO na minha mente desde que me entendo por gente.
    Quem vai me obrigar a me pintar todo e sair na rua pedindo esmola pros veteranos encherem a cara com esse dinheiro? QUEM? Um veterano de merda que não.
    Todo mundo que me conhece sabe que eu ainda vou apanhar muito nessa vida, porque os veteranos que me abordarem pra falar do trote vão receber um sonoro “Que se foda, não vou fazer essa merda, bjsmeliga”.
    Pft, tradição? Pedir esmola pintado é tradição? TRADIÇÃO DE MERDA.
    se tivesse um propósito bom, como pegar o dinheiro e usar pra algo melhor (ex: doar, melhorar a escola, etc) mas não. é pra porra da cervejada/choppada dos veteranos.

    Ótimo texto. Mas, diferente do que você disse nos comentários, eu sou contra até os mais inofensivos. Por mais que seja inofensivo, qual o ponto? Qual a graça? Pra que perder meu tempo?


  24. Adorei o texto,superou minhas expectativas,concordo plenamente,esses trotes nada mais é do que uma maneira triste e bárbara de quem quer se mostrar superior e na verdade não são…esse tipo de gente que compactua com os trotes violentos se aproveitam da necessidade que alguns jovens/adolescentes têm de se sentirem “aprovados”, aceitos…
    Porque não fazer algo útil, sei lá, fazer caridade,doar cestas básicas…com certeza teria muito mais mérito!!!!
    Felipe me add no msn???

    ———————-

    Manda um email pra controleremototv@gmail.com passando seu msn 😉


  25. O problema é que não adianta conversar com os veteranos, vai entrar por um ouvido e sair pelo outro, afinal eles estão muito bêbados ou até drogados para te ouvir. Eu não vou me arriscar indo nos primeiros dias de aula, não quero participar dessa humilhação. Quem aceita participar disso deve realmente rever os seus conceitos, vale a pena se humilhar apenas para ser aceito?


  26. Felipe?
    e o Alfredo? Era gatinho??
    shuahsuahsuashua

    ———————

    Eu lembro que usei o Alfredo em alguma piada gay mas agora esqueci qual foi ahuahuahuahuahuahuaha


  27. Olá Felipe!!! Há algumas semanas atrás sem querer topei com aquela matéria do carnaval, e ai cara foi amor a primeira leitura!!! Queria te parabenizar pela pessoa que vc é!!! Suas matéria são um máximo!!! Essa do trote e aquela da classe média baixa tamb foi genial!!
    A partir de hoje ganhaste uma nova fã, parabéns!!!!

    ———————

    😉


  28. Deve ser proibido. Dane-se que não são todos que acontecem isso. Ano a ano vemos as mesmas notícias de agressão e morte nesses “eventos”. Se tornou constante. Tem que cortar.


  29. pow véio, pretendo presta vestibular pra medicina esse final de ano pelo menos na USP e na UFPR. os trotes das UFPR são bem de boa, tipo uma brincadeira. (conheço uns veteranos, pois moro em curitiba). mas lá na USP os caras são sem noção demais.. foi lá que aconteceram aqueles casos de queimadura, não foram? :S
    minha mãe tava me falando, que há uns 10 anos aconteceu até de um calouro de medicina da USP morrer num trote.. muito animas os caras de lá :S

    aah, sem esquecer também oque aconteceu em londrina fim do ano passado. não sei se foi muito divulgado fora do paraná, mas aconteceu o seguinte: vários formandos de medicina da UEL soltaram rojões, fizeram arruaça, desrespeitaram pacientes, e zuaram um monte DENTRO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO. mas lá pelo menos teve uma parte boa, os reconhecidos nas gravações foram impedidos de se formar hahahaha 😀


  30. […] [Texto] Trote – o orgulho de uma classe escrota […]


  31. É esse o nosso Brasil. Triste saber que futuros médicos e engenheiros são tão imbecis a ponto de humilhar os calouros de graça.


  32. Como sempre, muito bom…
    Eu sou contra qualquer tipo de trote abusivo, tanto que não participei do meu (o que envolveu correr mais rápido do que algumas pessoas e conhecer a universidade melhor do que os próprios veteranos.. haha) e não fiz parte dos trotes aplicados nos que seriam meus calouros.
    Concordo com quem disse acima que existem cursos piores que outros, mas eu acho que a comemoração de quando sai o resultado (pelo menos na universidade de brasília se comemora lá) é legal, desde que fique na tinta, no ovo e na farinha. Humilhar os outros é completamente desnecessário.
    Como fui provado em federal duas vezes, na segunda, nem dei muita atenção e preferir não me envolver, mas lembro-me de não ter me importado quando passei pela primeira vez…
    Mas sim, participar do trote não te fará ser mais aceito (e se fizer, foda-se, talvez não seja esse o tipo de pessoa que valha ser aceito por).
    Como eu sempre disse durante a faculdade “Calouro é estado de espírito” tem gente é veterano no primeiro semestre, e otário que se forma calouro.

    Amplexos.


  33. Felipe, como você mesmo disse, varia de instituição a instituição…

    Onde ingressei esse ano, os trotes são proibidos dentro da universidade (assim como todas as outras) e só vai para o trote QUEM QUISER… eu quis… fui e não sofri nenhum tipo de excesso…

    lógico, ficamos sujos e fedidos… mas foi algo feito de livre e expontânea vontade, sabendo o que ia ocorrer…

    me divertir… e se me perguntasse se faria denovo, com certeza faria…

    foi tudo na medida… quer beber? bebe… quer fazer as brincadeiras? faz… quer sair para pariticipar do trote? então saia… ninguém foi obrigado a nada…

    abraço!


  34. Concordo plenamente com a parte contrária aos trotes violentos e humilhantes. Eles são totalmente desnecessários e, a menos que o calouro goste de se humilhar, não é uma ‘história da faculdade para contar aos netos’.
    Entrei na faculdade esse ano e estou um pouco preocupada com o trote, apesar de saber que provavelmente ele não vai acontecer, vamos acabar só sentando pra beber alguma coisa e se conhecer.
    Mas se fosse caloura de zootecnia ou agronomia, aí eu faltava na primeira semana inteira de aula! Os veteranos parecem não ter limites e, quanto mais zoados eles tiverem sido no ano anterior, pior é para os novos estudantes.
    Enfim, apóio o trote solidário e, no máximo, para os que gostam de ser zoados, uma esmolinha no sinal. Mas também acho que o trote não deveria ser ‘obrigatório’ como é. Se eu fosse uma caloura e me pedissem pra fazer algo que não quero, negaria sem me importar com o que os outros iam pensar. E é esse pensamento que de ‘calouro estraga-prazer’ que deveria ser extinto das universidades em geral.


  35. Ah, a foto ali (http://www.controleremoto.tv/images/trote1.jpg) é do Berequetê, da Arquitetura? Oo

    ——————–

    Nem idéia.


  36. Vai de cada uma das universidades. Para mim tem o trote no primeiro dia de aula, que serve somente pra conhecer quem são os calouros, e o trote do último dia da semana que serve pra rir de tudo o mais e guardar memórias. Depois dessa primeira semana, a coisa simplesmente vai pra frente: Ninguém fica chamando os outros de calouros, existe respeito, etc.

    Se existe gente que é totalmente descontrolado em trote, só se pode ver na cabeça de cada pessoa para que ela evite esse estilo. Afinal, cada um faz o que quer da vida… O trote é só uma parte pequena da vida de cada um.


  37. Como se qualquer pessoa com um intelecto um pouco elevado se dignasse a participar de tamanha imbecilidade.
    Nunca precisei correr atrás de aprovação de veterano, não me importo em ser bem aceito num grupo de babuínos arruaceiros. Se sei que sou superior, por que precisaria da aprovação de criaturas inferiores? Isson não faz sentido.
    O Trote passou há muito dos limites do bom senso. Sim, passou.
    Mas quem se submete à isso, fará isso contra os calouros no próximo ano.
    Deixe que os macacos se entendam.


  38. Não sou contra os trotes, mas acho que vai quem quer, todos sabem que sempre vai ter um “espirito de porco” no meio, pronto pra sacanear os calouros.
    Então geralmente as pessoas sérias que tem que trabalhar, que tem mais a fazer do que ir fazer bagunça na facul, passam por caretas mas nunca se machucam 🙂


  39. Olá, você vem dizendo que não se submeteria aos trotes de jeito nenhum… Se eu fizesse isso, seria “zuado” por um bom tempo pelos veteranos, ia ser muito complicado conviver com isso… Pode me responder?

    ————————–

    E você vive sua vida preocupado com zoações? Eleve sua mente, rapaz, não há ninguém capaz de te inferiorizar exceto você mesmo.


  40. aaaaaaaaaahhhhhhhh..
    vai c fuder.. vc faz faculdade aonde??
    vai tomar no seu cu entaum.. vc nem sabe oq eh trote d verdad.. soh sabe do q le e oq ve na bosta do jornal nacional….

    ————————–

    Quanto carinho, que coisa linda =)


  41. Imaginem um trote idealizado pelo Caio, melhor chamar o batalhao de choque!.


  42. Eu disse que nao queria participar do trote, peguei minhas coisas e fui pra casa, e ninguem ficou me “zuando” em nenhum momento… acho que isso é se submeter por medinho

    ——————-

    Parabéns.


  43. 1 – Beber é cool! É muito mais fácil chegar bebado em casa e enfrentar papai e mamãe que passar por “bobinho” na frente dos veteranos descolados que bebem e são muito legais e populares;

    2 – Se apenas o bom senso fosse o bastante para evitar cagadas, poderiam liberar o uso de drogas, a CNH para menores de 18 anos e o aborto;

    3 – Nem todos os calouros que vão ao trote são sem noção, mas ALGUNS são, e é por causa destes “babacas” que a coisa deve acontecer DIFERENTE!

    4 – Veteranos idem, alguns vão se divertir e “paquerar as bixetes”, normal! Já outros vão humilhar os calouros, e direcionar a eles todas as frustações, humilhações e chateações que que são submetidos em casa, por seus pais;

    5 – As vitimas do “maniaco do parque” também iam para o “matinho” com o assassino porque queriam, ele não as obrigava, apenas as convenciam. Quando chegavam lá é que o “bicho pegava”;

    6 – Ninguem obriga ninguem a fumar e está cheio de gente morrendo de cancêr;

    7 – Ninguém obriga ninguem a beber e há um montão de familias destruidas pelo alcool;

    8 – Ninguém obriga ninguém a jogar, mas vários pais de família perdem tudo nos jogos;

    Basicamente é isso…

    Acho que tem um ditado que diz algo assim:

    “O pior cego é aquele que não quer ver”


  44. Esse negócio de trote é complicado..
    Faço agronomia e,por haver poucas mulheres no meu curso,digamos que não sofremos tanto as consequência. Agora os meninos são obrigados a beber até cair,são colocados dentro de um pneu de trator e jogados ladeira a baixo. Acho isso uma falta de respeito,não concordo com isso,sendo assim evito os primeiros dias de aula para não ter que presenciar essa situação.Espero que com os atuais acontecimentos esses tipos de trotes violentos sejam banidos da minha e de todas as universidades


  45. CAra, no trote ngm é obrigado a fazer nada, os “bichos” fazem só oq querem, se não querem passa ser considerado violênto, dae a coisa já muda de figura… acho q cabe Aos calouros impor sua vontade, mesmo pq nem todo mundo tem a mesma liberdade de se passar por ridiculo.
    E isso é tão verdade q o trote normalemnte dura 1 dia, o calouro poderia mto bem faltar, já q não vai ter aula mesmo, ainda mais se ele não liga em ser incluido socialmente ou não tem tem pressa disso…

    ———————

    Como eu disse, a culpa também é do calouro.

    E outra, chamar um calouro de bicho é coisa de cidadão atrasado intelectualmente.


  46. AAAAA isso é muito relativo, tenho amigas,primas em faculs publicas e nunca forão obrigadas a fazer nada. sou vestibulanda e sinceramente minha maior vontade de entrar numa publica é ser pintada e andar de elefantinho. IAHUIAHAHUIAHUIHIUAH’ cortar meu cabelo nunca, e eu acho que não acontece isso mesmo. até na RURAL que é o que é,não é obrigatorio. tem casos e casos realmente, mais de TODOS os meus amigos que passaram e são muitos, nenhum foi obrigado a nada.
    Beeeijos


  47. Sou veterano no CEFET – AL. Apesar de não ser Universidade, há trotes também com os calouros. Não sofri nenhum tipo de zoação ou coisa assim, só que o ano todo fui chamado de calouro (o que para eles éa maior zoação que tem) e nada mais. Hoje como veterano não participei de nenhum trote com os calouros, só faço o que fizeram comigo, chamo os novatos de calouros, não porque também “sofri” isso, mas não sei dizer o porque.

    Não vou nem dizer que o texto está ótimo ou coisa assim, porque seus textos SEMPRE são ótimos.
    Pronto.


  48. “podendo deparar-se tanto com um grupo de mulheres brincalhonas e seus amiguinhos (casos como Moda)”

    acho que você anda conversando demais com estudantes de moda, hein? hahahahahahaha 😡

    mas a gente pega leve, pelo menos. os problemas serão apenas psicológicos, depois de muita xoxação feita pelas beeshas malvadas… hahahaha

    :*

    (te espero na chocolat :P)

    ————————

    Hhauhauhauhauhauhauha


  49. Parabéns pelo post. Muito bem colocados os argumentos.

    Na minha opinião, o trote é sim necessário e justamente pelo fato que inclui o jovem ao seu novo ambiente, provavelmente aquele que será a “semente” de toda sua vida dali em diante.
    Ser aceito é parte do ser humano e acredito eu de qualquer outro ser existente no planeta.
    Veja o trote como um rito de passagem, uma transição para a vida “adulta” que se inicia.

    Fato concreto e de consenso que existem os idiotas, ou os zé-bostas como preferir que tornam o “rito” um ato de extremo mau gosto e promovem as barbaridades que tanto assistimos.

    Porém, isso é Brasil (ou já seria “Brazil”?), onde existe o paradoxo de ter no seu povo sua glória e ruína ao mesmo tempo … mas isso é um outro assunto….

    Abraços e parabéns pelo blog, um blog na essencia da palavra!


  50. Só pq estuda em faculdade particular!
    Até parece que alguém que raspasse seu cabelo iria parar na delegacia.
    Acorda, moleque. O mundo não é assim não.
    Fraco!

    ————————–

    Fraco é exatamente quem deixa meterem em sua bundinha sem lutar contra.

    Raspassem meu cabelo para ver se no dia seguinte já não teria um boletim de ocorrência e inquérito no ministério público.

    Fraco!


  51. Pra mim, você é um viadinho, que não aguenta ser zoado, pq não consegue sacanear ninguém..

    ———————-

    Pra mim também.

    E por incrível que pareça, você se sentiu humilhado só com palavras escritas.

    Mas esquece, eu não consigo sacanear ninguém.


  52. “Não que eu saiba.

    O sistema GREEK de universidades americanas, que divide alunos em fraternidades, faz o oposto… Cuida da integridade de seus membros e os tratam como irmãos.

    No máximo, tem o período de “notavo” em que o integrante da fraternidade passa 1 ano lavando a mansão do grupo, fazendo comida, etc. Mas aí é um processo real e necessário para ser EFETIVADO como irmão, diferente do que acontece nesse Congo aqui.”

    Felipe, morei e fiz faculdade dos Estados Unidos. O Sistema de fraternidades é muito pior que o nosso trote. O trote pode ser o que for mas dura no máxim 1 semana. Os “freshmen” são HUMILHADOS, espancados, mijados, cagados, ate tas vezes gozados em cima, só para poderem entrar em uma “casa” onde todos se chamam de irmãos, e que o benefício maior são as festas. O 1° mundo não é tão 1° assim não eim. As fraternidades não deixam de mão o trote violento e fazem um “trote solidário”… reveja seus conceitos. (BTW, NÃO ESTOU CONCORDANDO COM AMBOS)

    —————————-

    Se realmente for assim, retiro o que disse sobre o sistema americano.


  53. Falou tudo…

    “Acreditem, todos vocês, a aprovação é conquistada com o tempo e os ciclos sociais formam-se com a convivência”

    Sempre repito isso, mas as pessoas insistem em dizer que estou errado.

    A propósito, excelente texto.


  54. Sabe qual a vantagem de se ter 40cm de braço i ter junto
    contg, 4 amigos fortes tb?
    nao precisa passar por trote na faculdade ksapskaoksaoskaopsakosak

    Estou nos 5% 😉


  55. Sou completamente a favor do trote e isso eh uma tradição que ja vem de muito tempo…claro que o trote eh divertido desde que feito sem joselitagem como eu vejo em muitas universidades…..aqui na minha universidade o trote eh soh pintar, pedir dinheiro no farol e coisas do tipo…..e soh vai no primeiro dia quem quer levar trote….quem nao quer simplesmente nao va ou diga que nao quer participar….

    Axo que o trote nao deve acabar, o que deve acabar sao certos atos de violencia que agente ve por ai, tem um povinho nesse mundo muito sem noção que por culpa de certas atitudes acabam por arruinar a diversão de muitos!


  56. Alexandre:
    … E o pior, esses caras serão futuros advogados, pediatras, veterinários, médicos …

    Leonard Lecter :
    … Todo mundo que me conhece sabe que eu ainda vou apanhar muito nessa vida, porque os veteranos que me abordarem pra falar do trote vão receber um sonoro “Que se foda, não vou fazer essa merda, bjsmeliga”.
    Ótimo texto. Mas, diferente do que você disse nos comentários, eu sou contra até os mais inofensivos. Por mais que seja inofensivo, qual o ponto? Qual a graça? Pra que perder meu tempo?

    Concordo totalmente com os dois acima. Odeio trotes. Pode ser pintar o rosto, pedir dinheiro no sinal ou cortar o cabelo…

    Sou como Felipe. Se cortarem meu cabelo ou me obrigarem a fazer qualquer coisa contra a minha vontade, faço um B.O.


  57. Velho, isso chega a ser desanimador, tipo..

    Faz as pessoas chegarem a terem medo de entrarem em uma faculdade.. =\


  58. cara… faz parte de um ritual passar por coisas do tipo… na grande maioria de faculdades, é falado pro calouro fazer alguma coisa, se ele não quiser, diz: “po, isso não neh cara…”. eh OBVIO q o veterano insiste, mas se pela segunda ou terceira vez o calouro falar q não quer fazer, tdo bem… geralmente eh bolada alguma outra maneira daquele calouro pagar uma prenda ou coisa do tipo… menos invasiva.

    existem faculdades e faculdades… na USP, aonde eu estudo, não teve sequer UM caso de problemas enquanto estive lá… e olha que é uma das faculdades mais temidas em relação ao trote… só pq em UM ano, UM caso aconteceu (do calouro de medicina jogado na piscina), de 100 mil candidatos que entraram desde então… ou seja: 0,001 %…
    em qualquer tipo de ritual, brincadeira ou etc, pode ter uma porcentagem de perigo.. até jogando counter-strike numa lan house a porcentagem de alguma coisa acontecer é maior, se considerado esse numero d pessoas.

    é tudo uma questão de perspectiva e da faculdade.


  59. E viva os CALOUROS!!!

    E como sempre ótimos textos os seus.


  60. bandi bebês de tevê….

    não sabem o que é comemorar de verdade…

    num quer levar trote? é fácil.. não vá na primeira semana
    agora ficar criticando, aí enche o saco.


  61. Faça como eu amigos, leve um pé de cabra e ande arrastando na faculdade, ninguém vai mexer com vc’s!

    Acho isso uma puta idiotagem e eu estava pronto pa quebra uns dentes por isso…


  62. […] mulheres do Twitter que nós casariamos! – Suspensa.info Os 5 Sites Mais Inúteis Da Web – Asttro Trote – o orgulho de uma classe escrota – Controle Remoto Gatas do MySpace – Bobagento Pessoas mais estranhas do mundo – Insoonia O […]


  63. Não tenho nada contra o trote. Contanto que seja uma brincadeira sem violencias e ofensas fica tudo bem. Mas como em todo lugar tem um idiota que passa dos limites ai ferra os outros…


  64. Felipe, desculpe usar o meio de comentários para te fazer uma pergunta, não precisa responder se não achar conviniente de minha parte, mas como vc sabe sempre participo do seu blog. O que está acontecendo com a Isfreepop ? Quem é Storm, é vc? Não vi nenhuma explicação sua sobre o fim do site apenas desta pessoa .Poderia passar pela comu do orkut e nos deixar uma mensagem.Nossa, aquele site deu acesso a várias pessoas conhecerem as séries americanas.Eu sou uma delas,adoro, fiquei viciada.

    Um abraço

    ———————-

    Beta, infelizmente a isfree acabou. Não era mais possível sustentar o site, principalmente pela nossa política anti-lucro, já que era um site de downloads.


  65. Atento para o fato de que o indivíduo que aplica o trote ao Calouro , no futuro o Calouro será o seu ” Veterano” .

    Engraçado como é o destino não ? –‘ O nivél da bestialidade do Veterano que aplica , é proporcional ao nível de desempenho que ele está tendo na faculdade. Gostam tanto da faculdade que ao invés de passar 4 , passam 8 anos.


  66. Felipe que bom que você ainda lembra daquele dia…
    Eu também não esqueci coração ❤

    A propósito, ótimo texto!
    Beijosmeliga


  67. Cara, vc escreve bem pra cacete. Sério mesmo, muuito bem. Escrita com conteúdo tambem é claro. Agora ja entrei na facul, nao preciso mais me preocupar taaanto com redaçao (por inquando é claro), mas se precissasse iria ler seu blog com mtu mais frequencia. Meu trote vem no meio do ano, vou participar pq acho legal mesmo, se for violento saio fora, mas enquanto for só a brincadeira e a zuaçao mesmo, vou rir junto. Otimo texto, vlw.


  68. […] O orgulho de uma classe escrota; […]


  69. Bom, tem q ter trote sim, quem não quer levar, não apareça no local, simples assim….levei trote quando entrei em 2006, e todos anos de veterano dou trote, sem problema algum…


  70. Muito bom, o texto. Você conseguiu expor em palavras tudo o que eu sentia em relação ao trote. Só não sei onde é que vou conseguir essa confiança quando chegar a minha hora. =(

    Agora, eu acho que você anda abusando um porco das ênclises. “…pois ninguém submeter-se-ia”(eu sei, isso não é ênclise, é mesóclise, mas a regra é a mesma) Nesse caso, o certo é “ninguém SE submeteria”, já que a partícula negativa atrai o pronome. Você se descuida dessa regra algumas vezes, cuidado para não acabar parecendo artificial.


  71. Atitudes como essas são ridículas à pessoas que se dizem universitários, A violação é regida principalmente por desrespeito. É sabido que em exemplos alguns trotes calouros são submetidos a ritos que os agride como pessoa. Creio que se assim agem os já experientes é por total descumprimento não só aos calouros como também a si. Ser humano nenhum é obrigado a fazer aquilo que infringe seus direitos. Há casos em que esses próprios contribuem para tais. Sentir-se inferior a alguém que pratique atos violentos é um erro, não deixe que sua integridade seja jogada à lama. Não é submetendo-se a ações como essas vistas que se obtém respeito.Se essas pessoas que praticam trotes mandam você fazer algo que seja de má ou contra sua vontade não obedeça, lembre-se do senso que você tem e de seus próprios valores, estes inalienáveis à alguém que se diz ter soberania para fazer uso de tais tradições.


  72. desculpa o super desenvolvido intelectualemente, mas qdo eutava tipo na 4º série, me ensinaram q se eu coloco um termo entre aspas eu posso estar me utilizando de palavras de outros…

    enfim… O calouro(se vc faz tanta questão) só vai participar da festa se quiser, ele só é obrigado se é um babaca…

    flw!


  73. E só pra constar… o pessoal nas fotos não parece estar chateado, ouseja sabem brincar


  74. Desse seu texto, eu achei que foi uma simples opinião sua. O que está mais do que no direito de existir, mas… achar uma coisa, e participar da mesma, são coisas completamente diferentes.

    Sou a favor do trote saudavel, e existem muitos e muitos tipos deste mesmo trote. Agora, cada um com o seu cada um… você vir e chamar quem faz isso de babuíno e afins?
    Complica né…



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: