h1

Louco

16 de maio de 2009

Dizem que o jeito mais fácil de encontrar seu par ideal é parar de procurar por ele. Parar de pensar, idealizar, imaginar e sonhar com o dia em que poderá finalmente viver aquele sonho utópico infantil do “felizes para sempre”, mesmo que durante o pouco tempo inexato da paixão eufórica, sob o medo constante da mutação inevitável para o amor, este simplório demais para vidas cujo centro está na emoção e nos mergulhos inconsequentes em busca do desconhecido.

A excitação que move vidas desfocadas, porém brilhantes, é uma droga lícita, uma substância que penetra as veias e gera viciados. Seres lúcidos e completamente cientes das exatidões, pensantes, visionários, mas que deixam-se dominar pela imortalidade presente nos minutos de utilização dessa perda completa dos sentidos, ao mergulhar de cabeça em emoções, ao deixar que suas ações saiam do moral, do aceito, do previsto. A piscina de sonhos não permite o mergulho de todos, apenas daqueles que a alcançam, e uma vez nela, para sempre será comedido à loucura insaciável e à perda dos sentidos em um universo onde nossos desejos são muito superiores ao certo ou errado padrão de uma humanidade fraca.

Vivo em um mundo de insanos, onde para muitos sou o mais coeso e centrado, mas a verdade está em que sou insano e perdido. A observação gerou um louco sério, um alucinado preso em uma capa de palavras e frases que muitas vezes têm o único objetivo de deixar fluir algumas gotas de tamanha revolta e incompreensão sobre tantos aspectos que, em suma, conseguem ser mais loucos que a própria loucura. O planeta está sujo e a maior sujeira acha que pode limpá-lo.

A ignorância é uma benção, a limitação de pensamento é uma dádiva, a falta de observação é o que salva mentes de se tornarem doentes. A fé, essa em Deus ou no próprio homem, é o resultado perfeito da combinação de todos os fatores que podem levar alguém à própria salvação. A loucura nega, as emoções controlam, a negação e o questionamento geram uma infinita falta de esperanças.

No fim, o pensamento mais insano dentro de toda essa loucura: jamais trocaria por nada. Prefiro morrer como um pobre coitado de olhos abertos, que como um rico de espírito, sem o poder sobre os próprios sentidos.

Anúncios

32 comentários

  1. First

    HEHE
    sei lá, não curti muito o texto

    Acho esse tipo de texto não interessante para mim, todo sentimental, cheio de adjetivos, apesar de muito bem escrito.

    parabéns pelo blog, to sempre aqui lendo e melhorando meus textos olhando para os seus. Uma grande inspiração.

    Obrigado


  2. Muito bem escrito ^^

    Ps. Relançaram a triologia He, She e We – do pscologo Robert A. Jonhson, me lembro que li o “He – Entendimento da Psicologia Masculina” a um tempão e gostei muito. Comprei os três, to esperando chegar – fica a dica. ^^


  3. muito bom! continue assim.


  4. Incrível como quando você escreve um texto desabafo desses eu me vejo completamente nele.
    Nem comento muito aqui, mas se comentasse ia parecer o cúmulo do puxa-saquismo, de tanto que minhas idéias batem com as tuas.


  5. e viva o ceticismo!

    parabéns pelo texto mano.


  6. A Kamila (comentários) expressou totalmente a minha opinião também.

    E essa loucura que sentimos acaba gerando mais indignação porque enquanto nos preocupamos com a sociedade, a sociedade não liga e são felizes, e como você disse: “ignorância é felicidade”.

    E sim, o texto é todo sentimental, mas é isso que falta no mundo.


  7. Isso é amor, crise existencial ou onda de ácido? uahuahua

    Abraço! Eu curti.

    —————————————————

    Hahahahaha, nenhum dos 3.


  8. ohhh
    q lindoo..

    ta bobonadinho!


  9. você estava bêbado quando escreveu isso??


  10. querendo ou não, todos vivemos atraz de máscaras, e justamente aqueles que por algum motivo evitam certos tipos de reações, são os mais complexos, que poderiam causar espanto e medo nos outros.

    ps = promoção citroen c4 lembra algo?! ^^


  11. Quando minha mae leu aqueles clássicos da Disney pra mim, eu fiquei me perguntando se existe essa coisa de amor 4ever mesmo. Parei de procurar quando meu irmao me falou que homens, assim como ele, só querem mulheres para sexo. Desde então sou tão feliz solteira que casar é o mesmo que não ter futuro. 😀 Ótimo post. 😉


  12. Já ouviu falar de materialismo histórico e dialético??

    Com ele dá pra entender bem sobre o que vc escreve e pode até indicar caminhos.


  13. Tendi nada…. vc tá tomando direitinho os seus remédios???

    Veja o que tá acontecendo com o Tarso.


  14. Concordo com a Kamila! Sempre leio seu blog e foi um dos motivos por ter um hoje! Textos como ‘Que Deus é esse’ e ‘Somos todos leonardos’ são também meus preferidos.
    “A ignorância é uma benção, a limitação de pensamento é uma dádiva…”
    Apenas não sei dizer se não trocaria ‘estar de olhos abertos’ por poder fechá-los… mas acho que é um caminho sem volta…


  15. “Vivo em um mundo de insanos, onde para muitos sou o mais coeso e centrado, mas a verdade está em que sou insano e perdido.”

    Adorei a colocação. A verdade é que em algum momento da vida, todos nós nos achamos centrados, ou pensamos isso. Centrados em relação ao mundo, às coisas do mundo. Mas o Universo orbita, e não mais que alguns milissegundos depois, deixamos o centro, e voltamos a ser insanos.


  16. Quando comecei a ler achei que você estava apaixonado, depois percebi que era um desabafo, e qual é o motivo?
    Passou por alguma situação que te deixou chateado?


  17. As vezes eu me pergunto que talvez, se eu fosse ignorante, minha vida seria melhor… eles parecem ser tão felizes… mas não dá, não consigo.

    “gerou um louco sério, um alucinado preso em uma capa de palavras e frases que muitas vezes têm o único objetivo de deixar fluir algumas gotas de tamanha revolta e incompreensão sobre tantos aspectos que, em suma, conseguem ser mais loucos que a própria loucura. O planeta está sujo e a maior sujeira acha que pode limpá-lo.” [2]


  18. é um dos 3 sim!

    o importante é que os 3 passam! ^^


  19. Uooow, show de bola o texto, meus parabéns!

    Complementaria o post com um texto meu:

    Platonismo

    “Amo você, que não existe, que não é real, que não posso tocar. Sonho com você, figura fictícia da minha vida e do meu coração. Sofro por você, criação da minha cabeça que me abraça e me acolhe antes que eu enlouqueça. Morro por você, amor irreal, expectativa surreal, morte coloquial. Beijo seus sonhos, que se tornaram meus sonhos, que se dissolveram no ar, se enterraram na terra e se afogaram no mar. Gosto desgostoso de gostar do que gosta da vida, do saber, do viver. Amor meu, platônico meu, sobrevivente carente da chuva que molha seu rosto e cabelo; assim observo sua boca, seus olhos e sinto seu cheiro e paladar. Aguça-me o tato em um ato profundo na escuridão em que se encontra o meu coração. A loucura está a apenas um passo da minha insensatez”.

    Abração
    Bruno
    =]


  20. é incrível as viagens que fazemos quando não temos nada melhor para pensar!


  21. Curti as palavras, cheias de sofrimento, angustia e revolta, pelo menos foi minha visão.
    A ignorancia te faz sofrer menos, em contra partida, te dexa como um animal domindado sem saber de sua força. Concodo quando diz:
    “Prefiro morrer como um pobre coitado de olhos abertos, que como um rico de espírito, sem o poder sobre os próprios sentidos.”


  22. a realidade é uma ilusão causada pela falta de alcool.
    fikdik


  23. atualiza aí


  24. O que acontece quando um pensador se encontra no limite da falta de motivação?
    O que acontece quando um artista perde a inspiração?
    O que acontece quando um observador desfoca suas atenções ?
    Ele ama.
    Não é permitido dizer que propositalmente ou não, mas duas formas, ele nunca será mais o mesmo.
    Se isso é uma droga, então a solução certa seria afastar-se.

    “As vezes eu me pergunto que talvez, se eu fosse ignorante, minha vida seria melhor… eles parecem ser tão felizes… mas não dá, não consigo.”

    Eles vivem sem cor.


  25. Bom post ;]

    Não sei se você conhece(ou se ao menos “gosta”) da ‘realidade por trás dos acidentes’, caso “goste”, achei esse blog(se você ja não conhecer claro)..

    http://issoebizarro.com/blog/

    Obs: Eu não gosto e nem tenho muito estomâgo mas vai que serve de inspiração para algum outro bom post 🙂

    Abraços


  26. Comecei a ler o blog a pouco mas gosto dos posts apesar de não concordar com alguns. Este esta bom e muito bem escrito
    “Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura.”
    Friedrich Nietzsche


  27. acho q o objetivo do texto não era agradar ninguém….
    rsrs.. mas agradou!


  28. Muito bom seu texto. Me identifiquei, porque eu vivo procurando respostas e porquês para tudo. A minha indignação é constante e infinita. Por isso gosto do que você escreve.


  29. inacreditável, há pouco tempo fui acometido com os mesmos pensamentos e questionamentos descritos no texto.

    mais uma vez, texto sensacional.


  30. caaaara, esse foi profundo! Hahahahahahah!


  31. Muito bom o texto . Me indentifiquei demais, meus parabens pelo blog
    abraços.


  32. Achei muito bom o texto, tenta descrever os sentimentos e a natureza humana, ou nada disso e eu to pirando, muito observador o autor. Interessante!



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: