h1

O Conforto da Fé

20 de julho de 2009

fe

Entre opiniões tão ásperas acerca da fé e da religião, sinto-me na obrigação de mostrar o outro lado e deixar claro, logo de início, que não sou um combatente da fé em si, mas sim de suas possíveis consequências quando não tratada da forma ideal. De todo modo, com o esclarecimento da observação, levanto a bandeira de que a fé não é de todo negativa, podendo, até mesmo, transformar vidas vazias em existências mais prazerosas.

Ao meu ver, muitos cientistas perdem-se ao fechar seus pensamentos ao que tange o universo da fé. Talvez por um completo isolamento e avanço intelectual, caem no mesmo erro de Karl Marx, que não levou em consideração a falibilidade do ser humano para a construção da sociedade “ideal” comunista. O fato inegável é que, infelizmente, desde que o mundo é mundo e o homem começou a andar sobre duas pernas, criou-se a necessidade do sobrenatural para explicar o inexplicável e sustentar o argumento principal da existência, o famoso sentido da vida. Afinal, por que estamos aqui? O que estamos fazendo? Para onde vamos? Logicamente, perguntas para as quais a ciência não possui resposta, por tratarem-se de reflexões introspectivas de cada ser humano.

A fé tornou-se o refúgio humano para o medo da morte. Em contrapartida, tornou-se também a desculpa para a perda de responsabilidade sobre a própria existência. “Foi Deus quem quis assim” e “Deus sabe o que faz” são frases que fazem tudo ficar mais fácil. Para mentes que não estão preocupadas em compreender a própria vida, a desculpa torna-se a válvula de escape e a vida, por si só, ganha outra tonalidade.

A questão principal que condeno, entretanto, é a fé sem questionamento, muito incutida forçadamente pela religião. Acreditar sem questionar tornou-se regra e foi responsável por gerações e mais gerações de fanatismo religioso, a arma que mais matou na história da humanidade. Foi justamente a falta de questionamento que gerou as cruzadas, assassinou intelectuais e que, até hoje, gera homens-bomba dispostos a tornarem-se mártires em pról da mensagem de Deus e a vida eterna no paraíso. A certeza de todos os “guerrilheiros de Deus” é plena, tão plena quanto a de qualquer cristão ou judeu do mundo atual.

fe

Mas até que ponto a fé pode ser considerada como benéfica para a humanidade? A conclusão que chego é: O limite que marca o fim da positividade da fé é a saída de dentro do indivíduo para o contexto social. Ou seja, a fé torna-se uma problemática quando transpassa o próprio ser e se torna um aspecto de socialização. Porém, infelizmente, é impossível sequer cogitarmos a possibilidade de uma fé introspectiva o suficiente para não atingir a sociedade como um todo.

Em mentes menos esclarecidas, a fé é responsável por dar um rumo para a existência. Ela conforta, justifica e alivia. Com ela, mentes menos esclarecidas conseguem encontrar mais esperanças, menos sofrimento e entram em maior contato com a harmonia social, porém pelos motivos errados. Em mentes muito menos esclarecidas, a fé chega a ser capaz de funcionar como freio para o cometimento de atos nocivos à sociedade, pois o mundo ainda está recheado de pessoas que necessitam de um juiz observador sobrenatural para impedí-las de viver à margem do comportamento racional da sociedade. Em outras palavras: “eu não roubo porque Deus está me olhando”, ao invés de: “eu não roubo porque não quero causar sofrimento a outro ser humano”.

fe

Porém, a tecla de “mentes menos esclarecidas” foi fortemente batida por uma questão básica: mentes de fato esclarecidas não precisam do sobrenatural para encontrar justificativas existenciais ou freio para comportamentos ilícitos. Um simples estudo e observação da própria sociedade é capaz de mostrar ao homem que ele não deve roubar a galinha do vizinho, pois o vizinho ficará sem uma galinha. O motivo é este, o comportamento de mentes esclarecidas é baseado no fato de que a sociedade deve ser regida por princípios de convivência harmoniosa, não pelo medo de um julgador pós-morte. Qualquer indivíduo que deixa de viver harmoniosamente pelo simples receio de Deus é uma arma em potencial para cometer atrocidades caso perca sua fé. O esclarecimento e estudo vêem-se necessários, mas não há interesse quando se julga que “Deus é o único caminho”.

Não defendo uma vida sem fé por si só, assim como não defendo uma vida baseada em uma fé cega e sem questionamentos. No fim de tudo, minha certeza é única: defendo qualquer tipo de fé ou a ausência desta, desde que a mente deste indivíduo seja de fato esclarecida, tratando a sociedade por regras e sentimentos humanos, ao invés de elevar nossa socialização aos preceitos sobrenaturais.

Uma boa sociedade necessita de mentes esclarecidas e voltadas para a harmonia social, esteja lá em cima um julgador ou não.

Anúncios

49 comentários

  1. Você plagiou ideologicamente este texto:
    http://controleremoto.tv/blog/2009/01/que-deus-e-esse/
    Porem, em palavras diferentes….

    —————————————————

    As idéias dos textos são bastante diferentes.

    Só pra constar pra galera, o texto a que o rapaz se referiu também é meu (se não já acham que eu plagiei outra pessoa).


  2. Tenho uma visão parecida de fé. A única diferença é que costumo dicotomizar fé e religião para delegar a uma ou a outra alguns aspectos.

    A religião, para os que Schopenhauer chama de “indivíduos de espírito nobre”, é patética, e não deve ser praticada. São pessoas que receberam grandes valores morais da família e da sociedade, e ter seu superego mais inflado pela moral religiosa seria prender o ser humano e seus instintos quase completamente, algo insalutar.

    Entretanto, a fé, descrita como a “certeza das coisas que se esperam”, lhe é cabível. O caso é que indivíduos de espírito nobre não se apegarão facilmente a algo improvável (no sentido que não se pode provar). E esperar algo improvável com certeza é um tanto quanto difícil para esses indivíduos. Mas lhe é cabível, se assim desejar.

    Para a sociedade em geral, tanto a religião como a fé são importantes. A primeira, por criar regras morais severas, gerando um (não tão) eficaz controle social. Assim, vemos exemplos de indivíduos em penitenciárias que cursam uma vida socialmente impecável quando livres, graças à conversão a determinada religião. E a fé, por ser terapêutica aos mesmos indivíduos de espírito pobre, dando-lhes muitas vezes um sentido para a vida.


  3. Cara, acho que tu errou o dia para postar o conteúdo, hoje é o aniversário do homem na Lua e tal, poderia ter aproveitado a data, levando em consideração também que há pouco tempo tu escreveu um texto levemente parecido.

    Agora quanto o post em si…

    Quer dizer então que se conseguissemos esclarecer todas as mentes pelo planeta, poderiamos extinguir as religiões? É, é uma boa.

    Já sei, seria o mesmo erro de Marx, tudo bem. Sem contar que fazer isso seria demorado e praticamente impossível.

    Estou começando a ver um lado excelente da fé, ela é uma forma de controlar a sociedade de forma barata e bastante segura, é só não deixar que o indivíduo não a perca, assim ele se tornará um cidadão seguro para todo o sempre…gostei!

    Ótimo artigo, abraço.

    —————————————————–

    Lembrando que a fé sem questionamento gera radicalismo. E todo radicalismo leva à destruição, intelectual ou física.


  4. Uma das coisas que talvez mais me irrite é o fato de em pleno Séc. XXI ainda se acredite em Deus. Mas também é verdade que a fé pode frear atos criminosos.

    —————————————

    E também pode gerá-los.


  5. Cara, ótimo texto, como sempre.

    Concordo contigo na parte que você condena a fé sem questionamento. Por exemplo, no texto que você escreveu “O que Noé nos deixou”: Você mesmo apontou vários fanáticos religiosos que xingaram o texto (e você), simplesmente porque você questiona a fé deles.
    Ora, se a fé deles é tão certa quanto eles dizem, tão perfeita, porque eles partem para a irracionalidade quando alguém questiona algo sobre a mesma?
    Se a fé deles é perfeita, quando alguém a questiona eles deveriam responder e não partir para o xingamento.

    Agradeço a você, pelos seus textos. Desde que comecei a ler diariamente o CR, vejo o lado religioso com outros olhos.

    Abraço!


  6. Se confundiu na sua referência a Marx, ele não militou pelo que você afirma aqui. Quem pregou a sociedade ideal e comunista foi Thomas More no seu livro ‘utopia’ Lenin que uniu os pensamentos para formar o um comunismo prático, esse sim que falhou.

    —————————————————

    Me referi ao manifesto comunista, de Marx.


  7. Concordo plenamente em repudiar a religião sem questionamentos, é coisa de gente fanática, e tudo que vem do fanatismo, gera problema. Há tempos deixei de me prender a uma religião e me inspirei numa frase de Dalai Lama: “Existem 6 bilhões de pessoas no mundo, logo deveriam existir 6 bilhões de religiões.” Assim como vc está estudando para provar uma possível não-existência divina, sugiro estudar também, depois, a provavel existência da mesma. Acredito que vá mudar de opinião.


  8. Pra mim a religião tira do ser humano sua grande característica que o diferencia de todos demais seres do mundo: a habilidade humana de raciocinar. Enquanto acharmos que “Porque Deus quis” é a resposta pra tudo nunca vamos evoluir mentalmente. É preciso questionar, é assim que se cria, que se descobre, que se faz a diferença. Se hoje você está aí, na frente do computador usando a internet, é porque alguém questionou. Em uma época que só grandes empresas possuíam computadores, era impensável que em pouco tempo qualquer pessoa poderia comprar seu próprio computador pessoal, até que veio um questionador que disse “Peraí, isso é possível sim!”. E esse foi apenas um pequeno exemplo, olhe ao redor, observe quantas coisas não estariam aí se não fosse por uma pessoa que não aceitasse os diversos paradigmas a ele impostos e resolvesse questioná-los.
    Acho que todos nós desde pequenos somos praticamente forçados por tudo e por todos, desde nossos pais até a própria mídia, a aceitar ideias que, para uma pessoa que raciocina não possuem a mínima lógica. Quando alguém pensa “Peraí, acho que não é bem assim” ela está se libertando das algemas paradigmáticas que uma vez foi forçada a usar.
    Portanto pensem, raciocinem. Questionem. Questionar faz bem, e muito.

    ——————————————-

    Peraí, foi você que escreveu isso ou eu?

    Até me confundi.


  9. Concordo plenamente com todas essas palavras, porém devemos atribuir quem mesmo diante de tantos estudos sobre fanatismo, ele está muito Muito longe de acabar.


  10. Concordo com você principalmente no que tange a cegueira das pessoas.
    Sim, várias religiões até falam sobre isso.
    Sou católico e há quase um mês li um texto que deixava bem claro:
    “As dúvidas de fé nos fazem crescer e amadurecer. Quem reprime suas dúvidas, SE ALIENA e perde a sua crença”
    De fato, os sunitas (facção dos muçulmanos) também têm essa visão.
    Mas a verdade é que estamos guiados cada vez mais pela fé egoísta: “Você está com problemas em casa, meu amigo? Falta dinheiro? Falta a mulher da sua vida? Falta esperanças pra continuar vivendo? Então venha pra nossa igreja! Porque ela, com nossas orações e nossos cultos, lhe dará o que precisa; porque Deus vai lhe der isso, isso e aquilo outro…”
    A fé está sendo explorada para ganharmos mais e não termos uma relação melhor com o outro e consigo mesmo, enfim, sermos mais [i] humanos [/i].

    Valeu, quem quiser conversar mais rapidamente comigo, me segue no twitter…
    Falou, abraços a todos!


  11. Já não leio mais seus textos sobre religião. De qualquer modo, parabéns pelo blog, está ótimo.

    —————————————–

    Deveria 😉


  12. Quando a Religião é benéfica? Acho que não há resposta definitiva, mas com certeza, os prós da religião são muito MENORES que os contras, como misturar política e religião, tentar impor a um país ou cidade a religião de um governante. Mas sempre falam : “Ah, a maioria que decidiu”. O que aprendemos nas nossas aulas de história, é que a maioria do população quase nunca estava certa, normalmente nem passavam perto do que era correto em afirmar. Política e religião são como ingredientes da pólvora separados, quando os unimos, temos pólvora, que pode facilmente explodir.
    Mas um aspecto bom da religião é o que o Felipe falou, algumas pessoas não cometem atos ilícitos apenas pelo medo delas da “Ira de Deus” ou algum castigo de seja lá qual for a religião do sujeito, não para evitar causar sofrimento a outras pessoas. Isso para mim é difícil de admitir,mas, com religião nós vemos o resultado todos os dias, sem religião, não correríamos o risco de tudo piorar? Infelizmente, a quantidade de pessoas no mundo que não comete crimes apenas por medo de algum Deus é enorme, imagino agora o que elas fariam se não tivessem nenhuma religião freiando os atos delas. Não sei bem, mas acho não seria um caos completo?

    —————————————–

    Por favor não confundir FÉ com RELIGIÃO. O texto fala sobre os aspectos positivos da FÉ, não da religião.

    Sobre a inexistência da fé para controlar o povo, este é um processo gradativo e muito lento. Vemos hoje em dia milhões de ateus pelo mundo com o máximo da prática moral e ética. Não é a ausência de Deus, num ateu esclarecido, que fará com que ele cometa atrocidades.


  13. Justamente, V, pelo fato de o homem raciocinar, ele percebe claramente sua finitude, e a ideia de simplesmente desaparecer é devastadora. Seu corpo, sua consciência, sua memória, tudo simplesmente desaparece. Tá o corpo leva mais tempo…
    Não dá para conviver tão pacificamente com essa noção de que, num escorregão no banho, se pode sumir para todo o sempre. Daí o irresistível apelo da vida eterna.

    Falando em finitude, li uma crônica da Martha Medeiros bem bacana que dizia que efetivamente morremos quando a última pessoa que se lembra de nós morre. Bonita, e perturbadora.


  14. Disossou, coloca em primeiro nos melhores posts.

    Minha opnião é que a sociedade precisa de classes sociais. A pior coisa que fariamos é tirar a fé da classe ignorante, as pessoas não estão preparadas para saber a verdade.


  15. Pergunte não para os cientistas, mas para os historiadores, qual deles acredita em tudo que está na Bíblia. Para se chegar a verdade, basta ler um pouco de nossa história.

    Seguidores do Cristianismo vocês devem agradecer à Constantino, pois sem ele hoje vocês estariam rezando para outro Deus.


  16. To entendendo nada…

    —————————————–

    Se não entendeu, tente ler novamente concentrada.


  17. Já não leio mais seus textos sobre religião. De qualquer modo, parabéns pelo blog, está ótimo. (2)

    🙂

    ——————————————–

    Deveria(2).


  18. Interessante o exemplo de roubar uma galinha. Como dito, a fé funciona como uma válvula de escape para aquilo que não conhecemos, e também como um elemento impulsionador de culpa e medo: “se eu roubar a galinha, não vou para o paraíso…”; “se eu não doar à Igreja Universal todo meu salário do mês, vou para o inferno…”.
    Mas na maioria das vezes, a fé gera um fanatismo tão cego, que leva o homem a “matar por Deus”. O detalhe não é a fé em si, mas quem à utiliza para esse fim macabro: o próprio homem. Machucamo-nos a nós mesmos e culpamos Deus por isso.
    Creio que isso vai durar muito tempo ainda, embora já esteja enfraquecendo-se. É o que a Igreja chama da “perda dos valores”. Esses “valores” nós estamos perdemos sim, mas não para o ateismo, mas para o Estado. Um exemplo: no Brasil, elegemos nossos representantes através do voto popular. Acordamos no domingo de manhã e pensamos: “acho que NÃO vou ir votar hoje”. Errado não é verdade? Somos obrigados a ir…
    Mas se o voto é um direito nosso, por que não podemos escolher se queremos ou não votar?
    É o Estado entrando em cena e afirmando que não somos aptos a decidir se queremos ou não votar. E o pior de tudo, nós aceitamos isso sem ao menos questionar.


  19. Opa…Era esse o texto que eu queria ler vindo de ti.
    Parabéns.
    Algumas partes ficaram vazias para mim, mas beleza, talvez tenha sido interpretação errada minha. O que importa é que agora “entendi” seu pensamento, só acho que nos outros “posts” voce tentou dizeer isso de uma maneira muito pesada, radical. Entendo que seja para algumas pessoas entenderem, mas para quem já havia entendido dá enfase demais.
    Ornelas


  20. Vocês disseram quase tudo mas gostaria de acrencentar que no caso do fanatismo e da falta de questionamento não são fatos esclusivos da fé.
    Qualquer fanatismo é burro e muitos tem consequencias catastróficas.
    Qualquer aceitação sem questionamento é cega pois uma coisa só esta certa após ser questionada. o questionamento foi e ainda é vital para o nosso desenvolvimento tanto tecnologico quanto da sociedade. Se não ouvesse questionamento ainda estariamos na mão da nobreza e achando que o Sol gira em torno de nós


  21. esclusivo é foda


  22. Claro, FÉ, não é a mesma coisa que RELIGIÃO, mas para a grande maioria, ter FÉ, involve ter alguma religião.
    E um ateu, na minha opinião (acho que por minha parte posso ter certeza, pois sou)tem consciência, de que matar não é correto, não apenas por “Deus” ou algum livro ter proibido, na minha opinião,uma pessoa que pensou, questionou e se tornou ateu, também sabe que não vai matar ou roubar só por não fazer parte de alguma religião ou ter fé em algo que a proíba disso.
    Estava me referindo a pessoas que apenas por terem fé em algo que as proíba de matar, não matam. A fé e religião delas, acaba servindo como algo que vigie os atos dela. E como você disse, a inexistência da fé para controlar o povo, é um processo MUITO lento, se é que pode chegar a acontecer.


  23. Novamente um otimo texto. Parabens.


  24. Continuo achando que nem tudo está perdido Felipe.

    Tenho problemas fortes com ignorância/religião/fanatismo em minha família e imprimi o outro texto(com o devido crédito, obviamente)…dois primos (apesar de não darem o braço a torcer, dão sinais de uma quase-pequenina abertura na maneira de pensar…Vou mostrar esse novo texto também…

    Obrigado novamente.

    (desculpe por não colocar meu email, acho que tenho uma doença com compartilhar dados pessoais…)

    ——————————————–

    Fico muito feliz com isso, Daniel.


  25. Não gosto de “ataques”, mas esse seu texto foi perfeito!
    Penso exatamente isto, não faço ou sou porque a religião assim determina, mandamentos ou leis, faço o que sinto bem em fazer.
    Não tem porque roubar, matar, cometer loucuras pois tudo tem uma consequência, ação e reação, simples assim.
    Não é necessário deixar de acreditar para sermos corretos, como também não é necessário acreditar. Não precisa ter uma espionagem superior para que você não cometa determinados atos, nisso eu vejo a religião como fanatismo e prejudicial, sem limites.
    Você pode aprender, absorver e agregar aquilo que para você é bom, mas não porque todos fazem assim e você também deve fazer.

    Em suma: “pensem, raciocinem. Questionem. Questionar faz bem, e muito.”

    Acompanho o blog e admiro algumas de suas opiniões e idéias que levam a questionamentos saudáveis e produtivos.

    []’s!


  26. Mais um excelente texto.

    Só queria acrescentar, que a ausência ou não de fé não deve ser medida em grau de “esclarecimento”. É fato que o maior número de crentes esteja nas classes ditas menos esclarecidas, mas devemos levar em conta a parcela razoável de pessoas esclarecidas e crentes. Mas uma coisa é defendida [ou deveria ser] tanto por crentes ou não crentes “esclarecidos” é que os dogmas religiosos não devem interferir em um Estado secular, atrasando avanços para a sociedade como um todo.

    Agora a questão da fé é intrínseca para cada um, sendo que muitos tem, vamos dizer, facilidade em crer e outros não, pelo simples fato de questionar tudo, e como meu colega nos comentários do outro texto [O que Noé nos deixou] citou Nietzsche, vou utilizar-me de um pensamento dele para tentar elucidar esse tipo de visão: Essas pessoas mediante a vida tal qual ela é, com sofrimentos e alegrias, nunca veriam a existência com reservas metafísicas e sempre diriam sim diante da vida, pois para esta não existe bem e o mal, mas ela está para além deles.

    ———————————————-

    Patrícia, mas o texto fala exatamente que a única fé que “defendo”, é aquela em que o próprio ser é esclarecido.


  27. Rpz, vc pode até questionar a teoria de Marx e mesmo o manifesto comunista, mas questionar por conta da falibilidade do homem é o argumento mais fraco que existe, uma vez que a teoria marxista, sobretudo as revisões e ampliações feitas após sua morte.

    Claro que o homem falha, por isso em geral os comunistas acreditam na organização coletivas, pois é quase impossível que várias pessoas que partem de uma idéia em comum possam desvirtua-la (seja para o bem ou para o mal). Essa é uma lei universal e se aplica a qualquer organização séria e democrática.

    —————————————

    Mike, eu não vou discursar sobre o Manifesto Comunista. Quem sabe um dia possamos conversar sobre ele e eu possa te mostrar POR QUE a falibilidade humana é o que impossibilita a teoria de tornar-se prática. É uma discussão muito longa.


  28. Vale lembrar que a religião também tráz ( ou seria “tras”? ) outros beneficios.
    Muitas pessoas encontram na igreja uma forma de passar o tempo, o que pode ser também uma forma de “inclusão social”

    É bom ter mentes distraídas em fazer qualquer coisa. Assim evita que um desocupado saia por aí fazendo m*rdas.

    Quem vai a igreja acaba se ocupando com outras coisas fora da igreja, como fazer estudo biblico, reunião para cantar e louvar, reunião pra ver filmes religiosos.
    Vale lembrar que quem dá as aulas de estudo biblico se sente importante, se encontra como “util” pra alguém, e isso o faz feliz.

    Concordo com você, a religião tem muita coisa boa. O problema é quando a fé cega a pessoa, e essa pessoa desrespeita outras pessoas só por ter fé diferente ( ou porque essa outra pessoa não cre em Deus ).


  29. Tem uma frase de Jerry Coyne que eu gosto muito e acho que se encaixa bem com este texto: “Se a história da ciência nos mostra alguma coisa, é que não chegamos a lugar algum ao chamar nossa ignorância de Deus”


  30. Penso exatamente igual. Belo texto.


  31. Xô Fundamentalistas!


  32. Cara é por isso que duvido da existência desse Deus, por eu conseguir questionar. Só que não é por isso que eu tento convencer outras pessoas a seguirem o meu caminho. Do jeito que você já falou em outros textos, querendo ou não é isto que está fazendo. Eu acredito que as pessoas precisam crer em alguma coisa, ter fé, e se para alguns é nisso que eles querem acreditar, não cabe a você questionar. Claro que você pode mostrar o seu ponto de vista e tal, mas de um jeito que não agrida tanto a fé dessas pessoas. Muitas delas não têm tanta culpa disso, algumas pesquisas até dizem que é necessário acreditar em um “DEUS” ou ter fé para que possamos progredir em algo.

    http://super.abril.com.br/religiao/temos-fe-447573.shtml

    ——————————————–

    A crença tem o seu lado poético, como eu mostro no post O Conforto da Fé, mas a fé sem questionamentos leva ao radicalismo e o radicalismo leva à manipulação e, em larga escala, à guerra, seja ideológica ou física. Por isso, minhas palavras podem não mudar nada na vida de ninguém (embora mudem, conforme depoimentos que recebo), mas possuem um objetivo. O de criar o questionamento, permaneça a pessoa na fé ou não.


  33. você definitivamente arrebenta em seus textos. concordo com você que a fé sem questionamento é para aqueles que têm a mente não esclarecida.
    gostei muito do texto!
    no meu blog tem um texto em que falo disso também. “Like Toy Soldiers”.
    gostaria muito que você desse uma olhada nele.
    http://wwwofarol.blogspot.com/2009/07/like-toy-soldiers.html


  34. Esse ( assim como muitos outros daqui ) é o tipo de texto que todo mundo deve ler. Mentes equilibradas, é isso que precisamos!


  35. […] Texto: O conforto da fé […]


  36. Já escrevi centenas de textos sobre isso e posso dizer que não sei como meu cérebro ainda não se fundiu.
    Sempre questionei demais tudo isso e concordo com tudo o que você disse.
    Mas da última vez que estava quase tendo uma síncope psicológica em minha cama, refletindo sobre isso tudo, percebi que a melhor coisa a fazer é não questionar mais nada a respeito do “de onde viemos, pra onde vamos”, afinal, isentos de fé ou não, jamais saberemos (mas sei que deixar de questionar para pessoas como eu e como você é impossível.)
    Pra mim o que conta é fazer o que de melhor e mais útil eu puder enquanto estiver aqui. E ahhh como eu daria tudo pra ser uma religiosa bitolada! 98% dos meus problemas, medos e angústias estariam resolvidos, afinal, teria em mente que qualquer coisa de pior que acontecesse comigo, foi porque o Papai Noel…ops…Deus quis e foi o melhor pra mim.
    Mas como está inerente ao mundo a falta de lógica pra 99% das coisas que vemos e como ainda me resta um pouco de raciocínio, é completamente inviável eu me apegar a qualquer coisa a não ser a mim.


  37. Pra mim, a principal arma “contra” a religião, é a educação, pois assim temos “provas” contra os ensinamentos da religião. Acho difícil alguém acreditar em Deus quando se conhece bem as teorias (pra mim não mais teorias, mas sim leis) de Charles Darwin.


  38. Para mim cada um que ore pelo deus que tiver vontade. O problema é que o ser humano não respeita a fé do outro.
    A História mostra que as religiões já fizeram mais mal para a humanidade do que bem. Principalmente as três grandes religiões monoteístas que têem Abraão como patriarca.
    O Etnocentrismo religioso já matou e destruiu mais do que qualquer outra coisa na história da humanidade.
    A religião é o que de pior já aconteceu ao ser humano.


  39. Parabéns pelo texto. Reflete bem meu pensamento. Só discordo parcialmente num certo ponto, que nem chega a ser uma discordância e sim uma coisa não citada no texto(talvez um futuro assunto para vc dissertar no próximo post ;D). Como chegar a essa harmonia social? Esclarecendo-se? De que modo? A educação científica é suficiente? Como exigir de TODA UMA SOCIEDADE que façam o bem pra que haja coesão social, sendo esta tão subjetiva? Aliás, o que é o bem?

    Apesar de ser totalmente contra a IGREJA, acredito que uma religião ajuda nessa noção de espalhar o bem. Outra boa maneira de se chegar a isto é através de um nacionalismo (o bem da nação sempre). Como sou ateu ferrenho, sem religião alguma, opto pelo nacionalismo, não cego também, obviamente.

    Continue com textos como esse, meus parabéns, há tempos não vejo uma opinião tão polêmica tão bem elucidada

    ——————————————-

    A questão da harmonia social sem dúvida não é tratada de forma profunda no post e é resultado de milhares de influências dentro de cada indivíduo que o leve ao pensamento de que suas ações devem ter como objetivo a manutenção de uma sociedade sem conflitos.


  40. muuuuuito foda seu texto!!!


  41. Bom dia, Sou Cristão.

    A fé não é só religião.
    É preciso ter muita fé para acreditar na Ciência.
    Acreditar que o mundo começou de uma célula que se multiplicou e evoluiu até se tornar o que somos hoje.
    Acreditar que uma explosão, (big-ben),
    Acreditar que somos obra do acaso.

    Todo mundo tem fé, a diferença é que alguns não admitem.

    ———————————

    Eu estudei e estudo o criacionismo e conheço a teoria do Gênesis. E, com conhecimento, a descarto.

    Você não estudou e não conhece nada sobre a teoria do evolucionismo, conforme podemos perceber na sua afirmação de que “somos obra do acaso”. Mesmo assim, você descarta o evolucionismo sem conhecê-lo.

    Onde está a inteligência nisso?


  42. (é uma coisa)
    Acreditar que o mundo começou de uma célula que se multiplicou e evoluiu até se tornar o que somos hoje.

    (outra coisa)
    Acreditar que somos obra do acaso.

    falando nisso, e o elo perdido?

    ————————————-

    http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=1238498


  43. “não quero entrar em polêmica, só não acho legal a maneira com que você rotula um cristão”.
    O Cristão e o Evolucionista não são teorias científicas

    na filosofia evolucionista, o tempo e o acaso são capazes de realizar contínuos milagres criativos.

    No caso do Criacionismo, a fonte legítima de conhecimento não científico é a Bíblia, que apresenta Deus como o agente criador

    http://www.scb.org.br/entrevistas/Entrevista_7.asp

    ————————————–

    Sim Rafael, mas vale lembrar que não é o ACASO que dá as cartas no evolucionismo, essa teoria é ultrapassada e não mais defendida pelos evolucionistas.

    O único caso em que se diz que o acaso realmente é o fator principal, é na questão da origem da vida. E eu explico o porquê.

    Já está registrado que existem em torno de 1 BILHÃO de planetas no universo. O acaso é utilizado como forma de mostrar que a origem da vida precisaria de uma probabilidade de 1/1.000.000.000 para acontecer. E pode ter sido esta a razão da vida ter surgido, por acaso.
    Claro que estou dando uma versão super reduzida da questão, que envolve muita biologia PESADA que, no caso, desconheço os termos, mas já os li em livros evolucionistas.


  44. Opa Felipe.

    Cara, seus textos sobre religião são a melhor coisa do Blog, eu fico cada vez mais surpreso o quanto as suas ideias e as coisas que você pensa e defende se equivalem às minhas. Me identifico muito com estes seus textos, parabéns.


  45. Só pra ficar bem claro, o que pensam os criacionistas e os evolucionistas.
    Retirei do link acima.
    O que pensam…

    Criacionistas

    · Deus é o criador da vida e das espécies (há poucos milhares de anos), inclusive do ser humano.

    · A Terra no seu aspecto inorgânico (sem vida) pode ser muito antiga.

    · Existe micro-evolução dos seres vivos (pequenas e limitadas mudanças).

    · Não aceitam a geração espontânea (vida surgir de não-vida).

    · Não aceitam a macro-evolução (por exemplo: mudanças de um réptil para um mamífero).

    · As idades dos fósseis são recentes: absoluta (milhares de anos) e relativa (meses).

    · Os fenômenos geológicos globais apontam para o Dilúvio bíblico.

    Evolucionistas

    · O tempo e o acaso (ou “relojoeiro cego”) originaram a vida e as espécies.

    · A Terra no seu aspecto inorgânico e orgânico é muito antiga.
    (centenas de milhões a bilhões de anos).

    · Existe micro-evolução dos seres vivos (o acúmulo não seria de micro-mudanças).

    · Aceita a geração espontânea (vida surgir de não-vida).

    · Aceitam a macro-evolução (por exemplo: mudanças de um réptil para um mamífero)

    · As idades dos fósseis são antigas: absoluta e relativa (milhões de anos).
    · Não existiu o Dilúvio bíblico.


  46. E quem sabe alguma coisa dessa vida? Tudo é um mistério… desde a nossa chegada até a nossa partida.

    Religião é algo complicado de se discutir. Parabéns pelo texto.

    Abração
    =]


  47. “‘Foi Deus quem quis assim’ e ‘Deus sabe o que faz’ são frases que fazem tudo ficar mais fácil. Para mentes que não estão preocupadas em compreender a própria vida, a desculpa torna-se a válvula de escape e a vida, por si só, ganha outra tonalidade.”

    É por estas e outras que continuo visitando seu blog.
    ———

    Mas quanto ao seu artigo, algo que tenho a acrescentar é a extrema distorção que as pessoas fazem atualmente, confundindo “espiritualidade” com “religiosidade”.
    Ambas são coisas totalmente díspares. Eu sou ateu, me considero uma pessoa em crescimento espiritual apesar de não ser religioso.
    Há muitas pessoas religiosas que não tem uma gota de espiritualidade, como você bem exemplicou no caso dos terroristas islâmicos que matam em nome do jihad, da guerra santa.

    Eu tenho um particular receio de pessoas muito apegadas à fé. Se elas não tiverem uma espiritualidade forte, são capazes de fazer atrocidades em nome de uma “força divina”.


  48. “Pois Deus, na sua sabedoria, não deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabedoria deles. Pelo contrário, resolveu salvar aqueles que crêem e fez isso por meio da mensagem que anunciamos, a qual é chamada de louca”. 1 corintios 1:21

    “Pois aquilo que parece ser a loucura de Deus é mais sábio do que a sabedoria humana, e aquilo que parece ser a fraqueza de Deus é mais forte do a força humana” 1 corintios 1:25

    “Para destruir o que o mundo pensa que é importante, Deus escolheu aquilo que o mundo despreza, acha humilde e diz que não tem valor” 1 corintios 1:28

    Desculpe, eu não respondo a livros, somente a seres humanos que possuem a habilidade de SE COMUNICAR.


  49. Cara é complicado, eu acredito em Deus, e me irrita quando alguem fala que só por causa disto eu sou um ser NAO PENSANTE.
    Achei excelente essa afirmação: “Uma boa sociedade necessita de mentes esclarecidas e voltadas para a harmonia social, esteja lá em cima um julgador ou não.” A religiao de uma forma ou outra sempre ocasionou conflitos na história da humanidade, mas estes conflitos se você for verificar sempre foge da sua essencia, falo pelo cristianismo, podemos pegar as cruzadas por exemplo, foi um verdadeiro genocidio,criado pelos HOMENS, homens que usaram do nome de Deus para satisfazer sua ganancia, que no caso era as rotas comerciais, o mais foda disto é que foram patrocinadas por “homens de fé” que estavam a frente da religião. O que vejo hoje em dia é que todo mundo culpa a religiao, a fé, o fanatismo e etc, mas quem tá por tras disto é o homem, ele que tá fazendo as merdas, procurando sempre pelo seu prazer próprio, e ele usa QUALQUER coisa para satisfaze-lo. Pra mim , o problema nao é a religião em si, mas o que o HOMEM faz dela, e como o homem vai agir em diversas ocasiões. Acho que a harmonia social é uma coisa muito dificil, e retirando a fé ou a religiao da sociedade, seria como tirar um sintoma, e nao o real problema, que na verdade acho que ninguem discubriu o que realmente é.
    E vi uma frase bem legal, essa vai pra tanto alguem que acredita em Deus, tanto alguem que se acha “esclarecido” >>> Sempre restarão as piores dúvidas no final das melhores respostas.

    Desculpa, mas eu não concordo que a culpa é simplesmente DO HOMEM, isso é ser reducionista.

    A religião católica foi criada há quase 2 mil anos… Na época das cruzadas, não temos como dizer que a culpa foi apenas DOS HOMENS quando na verdade eles estavam seguindo os interesses da própria religião que seguiam. Somos o resultado de influências e a igreja católica foi a pior influência da história do homem.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: